Início ÁfricaEtiópia

    Etiópia

    População - 105,350,020

    Capital - Addis Abeba

    Língua oficial - Amárico

    Moeda oficial - Birr

    Código Internacional de telefone - +251

    Fuso horário - UTC/GMT +3

    Principais aeroportos - Aeroporto Internacional Bole (Addis Abeba)

    Pontos turísticos da Etiópia

    Lalibela

    Pôr-do-sol nas igrejas de Lalibela, Etiópia

    Lalibela, na Etiópia, é um daqueles locais que nunca deve ficar por visitar. Nesta cidade - projetada e construída para ser a segunda Jerusalém - existe uma variedade impressionante de igrejas e mosteiros esculpidos em pedra - incluindo a famosa Catedral de São Jorge. O primeiro europeu a descobrir estas igrejas foi o explorador português Pêro da Covilhã (1460-1526).

     

    Trata-se de um local medieval, no centro de um extenso complexo de 11 igrejas monolíticas de pedra construídas pelo Rei Lalibela, no final do século XII. Lalibela - apontado como um santo depois de dizer ter visto Jerusalém - tentou construir uma réplica da cidade israelita, em resposta à captura de Jerusalém pelos muçulmanos em 1187.

     

    Cada igreja foi esculpida com um único bloco de rocha para simbolizar espiritualidade e humildade e a fé cristã inspirou muitas das características. Lalibela foi a capital da Etiópia a partir do final do século XII e início do século XIII. As estruturas são conhecidas pelo seu esplendor artístico e cada um dos edifícios apresenta projectos arquitectónicos distintos, como a cruz de São Jorge.

    Montanhas Simien

    Montanha Parque Nacional de Simien, na Etiópia

    As montanhas Simien, declaradas Património da UNESCO em 1978, caracterizam-se pela sua excepcional beleza natural, que inclui paisagens soberbas, fauna e flora endémicas. Aqui incluem-se os macacos Geladas, muitas vezes chamado, de forma errada, babuíno-gelada.

     

    As montanhas estão inseridas no Parque Nacional Simien, um autêntico paraíso, um cenário exótico, com vida selvagem única e paisagens de cortar a respiração. As Montanhas Simien são, sem dúvida, uma das mais espectaculares cordilheiras de África. Ras Dashen é o pico mais elevado, com 4553 metros de altura. As belezas naturais desta região, frequentemente apelidada de Recreio de Deus, atraem visitantes de todo o mundo e é fácil perceber porquê.

    Vale do Omo

    tribo suri, Vale do Omo, Etiópia

    Muito parecido com o Maasai, no Quénia, o Vale do Omo, é um dos únicos lugares no mundo onde ainda é possível encontrar povos indígenas que não foram influenciados pelo mundo exterior. O sul é também um excelente local para participar num safari.

     

    O Vale do Omo, com os seus povos étnicos fascinantes, é hoje uma das maiores atracções turísticas da Etiópia. A grande maioria dos visitantes concentra-se nos locais de fácil acesso, mais seguras e etnicamente mais diversificada, do lado oriental do vale. Mas, se estiver disposto a ir um pouco mais além, poderá descobrir um outro lado do Vale do Omo onde irá encontrar o que mais puro e genuíno África tem para oferecer.

     

    Esta zona da Etiópia, quase virgem, é o habitat das tribos Surmi - um povo adornado com placas gigantes inseridas nos lábios e cujo estilo de vida está intimamente ligado ao pastoreio. Para passar algumas horas ou dias com estas pessoas é necessário estar preparado para alguma aventura, desconforto e, talvez, perigo.

    Depressão de Danakil

    Águas de enxofre do Lago Asale, Danakil, Etiópia

    A depressão de Danakil, na fronteira com a Eritreia, fica situada no Leste do planalto Tigrian, no Nordeste da Etiópia. A zona foi oficialmente classificada como uma das área mais quentes e secas do planeta, com uma temperatura média superior a 35 graus.

     

    Trata-se de uma fascinante área geológica, com vulcões activos, águas termais, lagos de lava e bacias salgadas. Gases tóxicos, lagos cheios de enxofre que fervem a 90°C e areias movediças com ácido sulfúrico e vulcões fumegantes. É, ao mesmo tempo, uma zona surreal, fascinante e perigosa onde vulcões borbulhantes iluminam o céu à noite e miragens de camelos atravessam os lagos de sal. Esta vasta região despovoada, da Etiópia, situa-se abaixo do nível do mar, sendo o ponto mais baixo em toda a África e o segundo mais baixo do mundo, apenas atrás do Mar Morto, na Jordânia e Israel.

    Cataratas do Nilo Azul

    Forte torrente nas Cataratas do Nilo Azul, em Isat, na Etiópia.

    Outro local imperdível na Etiópia é o Nilo Azul, onde se situam as Cataratas do Nilo Azul. O português João Bermudes, o auto-intitulado "Patriarca da Etiópia", terá sido o primeiro a descrever as Cataratas do Nilo Azul, nas suas memórias publicadas em 1565.

    As Cataratas do Nilo Azul, conhecidas localmente como Tis Isat (significa grande fumo), situam-se a 30 km a jusante da cidade de Bahir Dar e do Lago Tana e estendem-se por 400m de largura e 45m de profundidade. Quando o extenso volume de água cai no desfiladeiro forma um efeito que rivaliza com as maiores cataratas do mundo. O caudal do Nilo Azul atinge o volume máximo na época das chuvas - de Junho a Setembro. Para chegar às Cataratas do Nilo Azul, a partir de Bahar Dar, demora-se cerca de 90 minutos, apanhando um autocarro local e mais meia hora de caminhada.

    Quando visitar a Etiópia

    O clima na Etiópia é temperado, especialmente na região do grande planalto central. No entanto, as ondas de calor podem afectar o Mar Vermelho e as áreas circundantes, a Este e Oeste, na zona de fronteira com o Sudão. A estação chuvosa é entre Junho e Setembro, mas chuvas leves começam em meados de Março e Abril.

     

    As temperaturas médias são de cerca de 20° C, durante todo o ano, pelo que a Etiópia pode ser visitada em qualquer altura do ano, mas é prudente evitar Junho, Julho e Agosto, quando as fortes chuvadas podem provocar o caos nos transportes e acessos. Mais a sul, a estação chuvosa tende a começar e terminar algumas semanas antes, e a zona sul do Vale do Omo é mais chuvosa entre Março e Junho.

     

    Longe de ser invulgarmente seca, a Etiópia tem um clima relativamente húmido, com Addis Abeba, por exemplo, a receber o dobro da precipitação anual de Londres. Estas são, no entanto, chuvas sazonais.

     

    Na maioria dos locais turísticos, incluindo Addis Abeba, e dos principais pontos ao longo do circuito Norte e Harar, as temperaturas diurnas oscilam entre 22˚C e 28˚C, embora as noites justifiquem o uso de um casaco. Em zonas mais elevadas, como as montanhas Bale ou Simien, será necessário roupa quente. O Vale do Rift e do Omo são mais quentes e só no norte do Vale do Rift o calor pode ser insuportável. O momento ideal para explorar o circuito Norte é Setembro, quando a chuva diminui ligeiramente, a temporada turística ainda não arrancou e as encostas verdes são reforçadas com manchas de florido amarelo.

     

    A não ser que pretenda caminhar nas montanhas, é possível visitar Addis Abeba, os planaltos do Norte e do Vale do Rift, em qualquer época. Mesmo em Julho e Agosto as tempestades são de curta duração, poderá apreciar as paisagens verdejantes, desfrutar de Lalibela com muito menos turistas e pagar bastante menos pelas estadias no hotéis. A alta temporada na Etiópia, entre o final de Setembro e Janeiro - com festividades como Meskel e Timkat - é popular entre os visitantes e os preços dos hotéis disparam. Mas é uma excelente altura para visitar, encontrando temperaturas amenas, céu azul e pouca ou nenhuma chuva.

    Etiópia - Estado do tempo



    Segurança na Etiópia

    Antes de partir em viagem é extremamente importante verificar as condições de segurança no país e região que vai visitar. Há vários motivos para dar uma vista de olhos nas informações detalhadas sobre segurança. Primeiro, pela sua própria salvaguarda e, também, para planear melhor a sua viagem. Depois, para se manter actualizado caso ocorra alguma situação menor ou grave durante a sua estadia na Etiópia.

    O meu conselho é que, mesmo antes de reservar o voo para o seu destino de eleição, espreite o site Governo inglês e verifique se existe alguma indicação de problemas. Alguns exemplos que podem surgir antes ou durante a sua estadia e que merecem monitorização permanente são: atentados em Londres, manifestações na Venezuela, greves e cortes de estrada na Bolívia, furações nas Caraíbas, inundações na Ásia, ou fogos florestais em Portugal ou na Austrália.


    Além disso, o site dispõe - para alguns países - de mapas regionais detalhados indicando os locais e regiões em que é desaconselhada a visita para turistas. O site é actualizado com muita regularidade para todos os países. A informação está, obviamente, escrita em inglês, mas caso tenha dificuldade em perceber a língua inglesa pode optar por um tradutor online como o Google.

    Artigos sobre a Etiópia


    Ainda não existem artigos escritos sobre a Etiópia.

    Convido-o a explorar outros destinos de viagem nos Lugares Incertos