Brasil

    População - 205,823,665 (Julho 2016 est.)

    Capital - Brasília

    Língua oficial - Português

    Moeda oficial - Real

    Código Internacional de telefone - +55

    Fuso horário - UTC/GMT -3 - o Brasil tem três fusos horários, incluindo um para Fernando de Noronha

    Principais aeroportos - Aeroporto Internacional de Guarulhos (São Paulo) | Aeroporto de Congonhas (São Paulo) | Aeroporto Internacional Galeão (Rio de Janeiro)

    Pontos turísticos do Brasil

    Cataratas do Iguaçu

    Cataratas de Iguaçu, Brasil, Argentina

    Uma das maiores maravilhas naturais do mundo, as Cataratas do Iguaçu (ou Cataratas del Iguazú), é um conjunto de quedas d’água no Rio Iguaçu, ao longo da fronteira entre Argentina e Brasil, divididas entre o Parque Nacional do Iguazú, no lado argentino, e o Parque Nacional do Iguaçu, no lado brasileiro. Inscritas na lista da UNESCO como Património da Humanidade, estas enormes cascatas são, sem dúvida, uma das atracções mais espectaculares da América do Sul.

     

    As Cataratas do Iguaçu são compostas por centenas de quedas individuais ao longo da extremidade de quase três quilómetros, um número que oscila consoante a estação do ano e o volume de pluviosidade. Em qualquer caso, as Cataratas do Iguaçu são maiores que as Cataratas do Niagara, no Canadá.

     

    Este majestoso espectáculo da natureza é reforçado pela zona envolvente, com floresta exuberante, repleta de fauna e flora exóticas. Estima-se que existam mais de 200 espécies de plantas, 450 espécies de aves e mamíferos raros como o jaguar. O deslumbrante cenário de selva densa, onde habitam milhares de borboletas, e o rugido constante da queda de água formam um cenário incrível. É possível ver as quedas tanto do Brasil quanto da Argentina e os visitantes irão constatar que a perspectiva das Cataratas do Iguaçu muda a cada passo.

     

    O parque possui vários passadiços e plataformas de visualização para admirar em todo o seu esplendor as Cataratas de Iguaçu. No entanto, se quiser chegar ainda mais perto pode fazê-lo a bordo de um barco no Rio Iguaçu.

    Rio de Janeiro

    Vista desde o Pão de Açúcar, Rio de Janeiro, Brasil

    O cenário cinematográfico da segunda maior cidade do Brasil é indescritível. O Rio de Janeiro é a cidade mais visitada da América do Sul e é famosa pelas paisagens deslumbrantes, praias de areia branca e florestas verdejantes em redor de um mar azul profundo. O Rio está situado numa das maiores baías do mundo, com um fantástico porto natural e praias urbanas de encantar como Copacabana e Ipanema. Não é de estranhar que o Rio tenha sido nomeado uma das Sete Maravilhas Naturais do mundo.

     

    A estátua de Jesus Cristo, ou Cristo Redentor, é a imagem de marca do Rio de Janeiro. Localizada no pico da montanha do Corcovado, a cerca de 700 metros de altitude, proporciona uma visão panorâmica desde o interior da Baía de Guanabara a Norte, até a Lagoa Rodrigo de Freitas, a Sul. Outra atracção do Rio é o Pão de Açúcar, que aliado à estátua do Cristo Redentor, é um ícone do Rio e do Brasil.

     

    Na cidade proliferam bares e cafés e todos os anos o Rio de Janeiro é envolvido numa das maiores festas do mundo: o Carnaval do Rio. Centenas de milhares de pessoas acorrem à cidade para comemorar, participar e assistir ao desfile das escolas de samba. São dias consecutivos de desfiles vibrantes, trajes, dança, música, fogo de artifício e festas de rua.

    Búzios

    Búzios, Rio de Janeiro, Brasil

    Os viajantes que gostam de praias são susceptíveis de gravitar para Búzios, uma zona de praia perfeita, a 170 km do Rio de Janeiro. As fantásticas praias, dignas de um postal, ganharam fama - e com razão. Búzios tem mais de 20 praias - algumas recebem correntes marítimas do Equador e outras mais expostas a correntes marítimas frias, pelo que a temperatura da água do mar pode variar entre as praias.

     

    Cada praia apela a um tipo distinto de visitante: por exemplo, a Praia de Geriba é indicada para surfistas, enquanto as famílias optam pela Praia da Tartaruga e os naturistas relaxam na Praia Olho-de-Boi. A Praia do Forno, separada de Búzios por uma caminho primitivo, está cercada por um penhasco e as rochas submersas proporcionam a existência de uma vasta vida marinha, o que atrai praticantes de snorkelling.

     

    A cidade costeira de Búzios foi outrora destino predilecto de piratas e comerciantes de escravos e, findas estas actividades, transformou-se numa vila piscatória. As actividades populares para os turistas incluem snorkeling, mergulho, caminhadas e passeios de bicicleta.

    Pipa

    Praia de Pipa, Rio Grande do Norte, Brasil

    Pipa é um dos destinos mágicos do Brasil: praias imaculadas com falésias, lagoas, surf, uma grande selecção de pousadas, albergues, restaurantes internacionais e boa vida nocturna. A sua vibração descontraída e independente, ainda reina e, por ser pequena, Pipa pode conseguir manter esta característica. Consta que o nome "Pipa" foi sugerido pelos navegadores portugueses ao avistarem uma rocha, cujo formato se assemelhava a uma pipa.

     

    Praticantes de surf descobriram a pacata cidade de Pipa, as águas cristalinas, golfinhos, tartarugas e outra vida marinha, na década de 1970. Hoje, é uma das principais zonas de praia no Nordeste Brasileiro, rivalizando com Jericoacoara (Ceará) como a cidade de praia mais badalada do Nordeste. Algumas praias de referência são a Praia do Amor, Baía dos Golfinhos e a Ponta do Madeiro.

     

    Pipa fica a 85 km de Natal, capital do estado do Rio Grande do Norte, e atrai visitantes de todo o lado, com particular destaque para brasileiros e portugueses. Outros visitam para aproveitar a combinação de ondas e ventos favoráveis à prática de surf e kitesurf.

    Amazónia

    Vista aérea da floresta da Amazónia, Brasil

    O pulmão do planeta. É assim que sempre foi descrita a Amazónia. A Bacia Amazónica é coberta por metade das florestas tropicais do planeta. Estima-se que um décimo das dez milhões de espécies do mundo vivam na floresta amazónica. O território de selva Amazónica estende-se por nove países, sendo que a maior parte (60%) da floresta pertence ao Brasil. Seguem-se o Peru com 13%, Colômbia com 10% e ainda Venezuela, Equador, Bolívia, Guiana, Suriname e Guiana Francesa.

     

    Pode começar por explorar esta imensidão a cerca de 20 quilómetros a Sudeste de Manaus, onde as águas escuras do Rio Negro se encontram com a água lamacenta do Rio Solimões, fluindo lado a lado por cerca de seis quilómetros antes de se fundirem na Amazónia - o chamado Encontro das Águas ou reunião das águas. Este fenómeno deve-se à diferença de temperatura, densidade e velocidade de suas correntes. Esta é uma zona favorita para passeios de barco, desde Manaus.

     

    O comprimento do Rio Amazonas e do Rio Nilo gerou uma discussão acesa entre estudiosos, depois de autoridades brasileiras e peruanas terem analisado a verdadeira fonte do Rio Amazonas e o terem considerado o maior do mundo (6992 km). O debate continua, mas tanto o caudal como o volume são gigantescos.

     

    Amazónia em números

    Insectos

    Plantas

    Aves

    Peixes

    Mamíferos

    Anfíbios

    Répteis

    2,5 milhões

    40 000

    1300

    2500

    427

    428

    378

    Pantanal

    Jaguar na água no Pantanal, Brasil, Bolívia e Paraguai

    Ocupando uma área de mais de 210 mil km2 no centro da América do Sul, o Pantanal é um dos maiores e mais diversos ecossistemas de água doce do mundo. Mais de metade do Pantanal está no Brasil, com o restante na Bolívia e Paraguai, e embora a Amazónia possa atrair toda a fama e glória, será, provavelmente, no Pantanal que irá avistar mais vida selvagem no seu habitat natural.

     

    Nos espaços abertos do Pantanal, a vida selvagem é visível até mesmo para o mais desatento dos turistas e este é um dos melhores lugares para avistar um jaguar, contendo uma das maiores populações da espécie em todo o continente americano. Estima-se que o Pantanal acolha de dez milhões de jacarés e muitos são presas dos jaguares.

    Ouro Preto

    Igreja em Ouro Preto, Brasil

    Uma das cidades coloniais mais bem preservadas do Brasil, Ouro Preto, foi fundada no final do século XVII e tornou-se aí no epicentro de uma nova corrida ao ouro no estado de Minas Gerais. A cidade, a 400 km do Rio de Janeiro, possui uma arquitectura colonial portuguesa bem preservada, enquanto os edifícios modernos respeitam os padrões históricos característicos da cidade.

     

    As igrejas dos séculos XVIII e XIX decoradas a ouro e as obras esculpidas do mestre Aleijadinho fazem de Ouro Preto uma das atracções turísticas mais populares do Brasil. As igrejas de construção barroca e rococó do século XVII de São Francisco de Assis e Matriz de Nossa Senhora do Pilar são os melhores exemplos, mas toda a cidade é tão rica em arquitectura colonial que Ouro Preto foi nomeada Património da Humanidade pela UNESCO, em 1980.

     

    A riqueza do estado brasileiro de Minas Gerais no período colonial é fácil de imaginar a partir dos interiores das igrejas. As próprias paredes estão cobertas com ouro extraído das minas da região, nos séculos XVII e XVIII. Ouro Preto é uma cidade com ruas íngremes e estreitas, mansões coloniais, num cenário montanhoso.

    Olinda

    Vista aérea de Olinda, Pernambuco, Brasil

    A exemplo de Ouro Preto, Olinda é mais uma cidade colonial bem preservada. Localizada na costa Nordeste do Brasil, a Norte de Recife, Olinda é uma cidade colorida, com edifícios brancos de telhado vermelho que contrastam com o azul profundo da costa do Brasil. A cidade apresenta uma série de principais atracções turísticas, como o centro histórico, igrejas, e o famoso Carnaval de Olinda.

     

    Olinda foi o segundo centro histórico do Brasil a receber a designação de Património Histórico e Cultural da Humanidade pela UNESCO, em 1982, apenas atrás de Ouro Preto. Fundada no século XVI pelos portugueses, a história da cidade está ligada à indústria da cana-de-açúcar. Reconstruída após ser saqueada pelos holandeses, o tecido urbano básico data do século XVIII e foi reconhecida pelo equilíbrio harmonioso entre edifícios, jardins, 20 igrejas barrocas, conventos e capelas.

    Salvador da Bahia

    Pelourinho, em Salvador da Bahia, Brasil

    A histórica Cidade Velha, belas praias, cultura e animação numa das maiores festas de carnaval do mundo, fazem de Salvador da Bahia um dos destinos favoritos no Brasil. Uma das cidades mais antigas das Américas, e antiga cidade colonial, Salvador é a terceira maior cidade do Brasil e a capital do Estado da Bahia.

     

    A UNESCO inscreveu o centro histórico de Salvador da Bahia na lista de Património Mundial devido à excepcional colecção de edifícios coloniais dos séculos XVII e XVIII - o melhor da América do Sul.

     

    O Pelourinho é o centro histórico de Salvador, que foi a primeira capital colonial do Brasil entre 1549 e 1763. Este bairro antigo é onde se encontram os mais importantes edifícios religiosos de Salvador, construídos numa época em que o Brasil era a principal fonte de riqueza de Portugal e o ouro, abundante, era usado nas igrejas. O exemplo mais flagrante é o edifício da Igreja e Convento de São Francisco, construído no início dos anos 1700, repleto de esculturas cobertas de ouro. No claustro pode também apreciar painéis de azulejos portugueses.

     

    Situado na costa da Baía de Todos os Santos, Salvador oferece praias ideais para relaxar. Algumas das mais populares incluem a Praia do Porto da Barra ou a Praia do Flamengo. As praias variam entre enseadas calmas, perfeitas para natação e mergulho, até zonas de mar aberto com ondas fortes, popular entre os surfistas. Há também praias cercadas por recifes, formando piscinas naturais de pedra.

    Chapada Diamantina

    Parque Nacional da Chapada Diamantina, no estado da Bahia, Brasil

    Mais de 36 grutas e cavernas fazem parte do Parque Nacional da Chapada Diamantina, criado em 1985. O parque, administrado pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), situa-se num planalto delimitado por falésias de 40 mil quilómetros quadrados, no Eentro do estado da Bahia. Considerada uma das principais zonas de ecoturismo do Brasil, na Chapada Diamantina, pode-se desfrutar e admirar quedas d'água, rios, desfiladeiros e grutas que criam um cenário único.

     

    As partes mais altas do parque estão situadas a mais de 2000 metros acima do nível do mar. Esta zona representa uma fonte de água muito importante, já que vários rios nascem aqui e, ao mesmo tempo, criam cataratas impressionantes que caem das encostas verticais.

     

    A vida selvagem não é muito fácil de detectar, embora habitem nesta zona espécies como papa-formigas e jaguar. Para avistar este tipo de espécies, o melhor é efectuar uma caminhada pelas montanhas, onde pode também apreciar a queda d’água mais alta do Brasil - a Cachoeira da Fumaça.

    Angra dos Reis

    Praia em Angra dos Reis, Rio de Janeiro, Brasil

    Em Angra dos Reis pode dar-se ao luxo, e ao prazer, de escolher uma ilha por dia e não repetir nenhuma durante um ano. É que esta península, situada na costa atlântica, entre o Rio de Janeiro e São Paulo, é constituída por um grupo de 365 ilhas, e mais de 2000 fantásticas praias. Angra dos Reis é um paraíso natural de montanha, florestas, cataratas, lagos e enseadas secretas.

     

    A pesca e o mergulho são as actividades preferidas dos turistas, e em terra há centenas de trilhos para caminhadas que dão acesso a algumas das praias menos frequentadas como o Praia do Aventureiro, Praia de Lopes Mendes, Canto das Canoas ou Praia do Morcego.

    Fernando de Noronha

    Arquipélago de Fernando de Noronha, Pernambuco, Brasil

    Fernando de Noronha é um arquipélago de beleza ímpar, no Estado de Pernambuco, com praias, paisagens e vida selvagem, situado a 350 km ao largo da costa nordeste do Brasil. O arquipélago de sonho foi descoberto em 1503 e temporariamente ocupado por holandeses e franceses antes de Portugal estabelecer o domínio em 1737.

     

    Actualmente, só as maiores das 21 ilhas são habitadas e a população ronda as 3500 pessoas. As ilhas são uma Meca para mergulhadores, com águas quentes durante todo o ano e muito boa visibilidade mesmo em profundidades de 30 metros.

     

    Em 1988 foi estabelecido o parque marítimo nacional e 13 anos depois a UNESCO designou Fernando Noronha e o Atol das Rocas como Património Mundial da Humanidade, devido à importância do seu ambiente. Para preservar a beleza natural, as autoridades limitam o número de visitantes diários e uma taxa de preservação ambiental é também cobrada pelo Ibama (Instituto de Meio Ambiente e Recursos Naturais Renováveis).

    Lençóis Maranhenses

    Turista no Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses, no estado do Maranhão, no Brasil

    Os Lençóis Maranhenses são o paraíso, quase secreto, no Nordeste do Brasil, e dos destinos mais fantásticos do Brasil. O Parque Nacional dos Lençóis Maranhenses é um parque nacional localizado no Estado do Maranhão, no Nordeste do Brasil, a Leste da Baía de São José.

     

    É uma área (1500 km2) de terra plana, ocasionalmente inundada, coberta com grandes dunas brancas. Os Lençóis Maranhenses envolvem os municípios de Humberto de Campos, Primeira Cruz, Santo Amaro e Barreirinhas, sendo esta a principal porta de entrada para esta fantástica beleza natural.

     

    À primeira vista os Lençóis Maranhenses parecem um deserto, mas é apenas ilusão de óptica. Situada nos arredores da Bacia Amazónica, a região está sujeita a uma estação regular de chuvas no primeiro semestre de cada ano. Estas águas ficam acumuladas nos vales, entre as dunas de areia, e são impedidas de circular por camadas de rocha impenetráveis que se encontram sob o mar de areia.

     

    A zona pode ser visitada durante todo o ano, embora seja mais espectacular logo após as chuvas. Estas chuvas ocorrem entre Dezembro e Junho, pelo que se visitar após este período poderá ver os Lençóis Maranhenses no seu esplendor máximo e é a altura em que abundam lagoas um pouco por todo o lado. Junho marca também o início da alta temporada no Maranhão. As lagoas azuis, verdes e pretas resultantes são cercadas pela areia do deserto e atingem o seu máximo entre Julho e Setembro.

    Quando visitar o Brasil

    O clima no Brasil está condicionado, naturalmente, ao tamanho do território, mas o Verão é de Setembro a Março, no Sul, com temperaturas muito altas e com a presença de chuvas tropicais. O Inverno dura de Junho a Setembro, com temperaturas elevadas. Aproximando-se do equador, o clima torna-se mais agradável no Verão com temperaturas de cerca de 30°C e menos humidade.

     

    Ao pensar sobre o melhor momento para visitar o Brasil, vale a pena ter em mente que o país se divide em quatro regiões climáticas distintas. A parte mais fria - de facto a única parte do Brasil que fica realmente fria - é o Sul e Sudeste, ou seja, a região desde Minas Gerais até Rio Grande do Sul, que inclui Belo Horizonte, São Paulo e Porto Alegre. Aqui, há um Inverno distinto entre Junho e Setembro, com frio, vento e chuva. A parte mais fria é o interior do Rio Grande do Sul, no extremo sul do país. Por vezes, nos planaltos centrais do Estado de Santa Catarina chega mesmo a nevar.

     

    A melhor altura para viajar para o Brasil é durante todo o ano, embora seja melhor evitar o Rio de Janeiro em Fevereiro, - a não ser que o faça para visitar o Carnaval do Rio - quando os preços estão no máximo.

     

    O clima costeiro no Brasil, ao longo de sete mil quilómetros de costa, é excepcionalmente bom. Aqui, o “Inverno” chega quando alguns dias nublados provocam a queda da temperatura para 25°C. Existe também uma estação chuvosa, quando fortes dilúvios provocam inundações repentinas e deslizamentos de terra.

     

    Apesar de existir o preconceito que a Amazónia é fustigada com chuvas permanentes, a realidade é que grande parte da região apresenta uma estação seca, algo que, aliás, nas últimas décadas se tem prolongado, devido à desflorestação. Manaus e o centro da Amazónia têm uma estação seca marcada de Julho a Outubro.

    Brasil - Estado do tempo



    Segurança no Brasil

    Antes de partir de viagem é extremamente importante verificar quais as condições de segurança no país e região que vai visitar. Há vários motivos para dar uma vista de olhos nas informações detalhadas sobre segurança. Primeiro, pela sua própria salvaguarda e, também, para planear melhor a sua viagem. Depois, para se manter actualizado caso ocorra alguma situação menor ou grave durante a sua estadia no Brasil.


    O site do Governo inglês é actualizado com muita regularidade para todos os países e o meu conselho é que, mesmo antes de reservar o voo para o seu destino de eleição, espreite o site e verifique se existe alguma indicação de problemas. A informação está, obviamente, escrita em inglês, mas caso tenha dificuldade em perceber a língua inglesa pode optar por um tradutor online como o Google.


    Alguns exemplos que podem surgir antes ou durante a sua estadia e que merecem monitorização permanente são: atentados em Londres, manifestações na Venezuela, greves e cortes de estrada na Bolívia, furações nas Caraíbas, inundações na Ásia, ou fogos florestais em Portugal. Além disso, o site dispõe - para alguns países - de mapas regionais detalhados indicando os locais em que é desaconselhada a visita para turistas.

    Artigos sobre o Brasil