Início ÁfricaBotswana

    Botswana

    População - 2,209,208

    Capital - Gaborone

    Língua oficial - Setswana 77,3%, Inglês 2,8%

    Moeda oficial - Pula

    Código Internacional de telefone - +267

    Fuso horário - UTC/GMT +2

    Principais aeroportos - Aeroporto Internacional Sir Seretse Khama International (Gaborone)

    Pontos turísticos do Botswana

    Delta do Okavango

    Uma manada de elefantes atravessa os pântanos do Delta do Okavango, Botswana.

    Descrito como o rio que nunca chega ao mar ou a jóia do Kalahari, o Delta do Okavango é uma imensa área de água no norte do Botswana, que flui desde as terras altas de Angola, através da Faixa de Caprivi, na Namíbia, formando o maior delta do mundo. O Delta cobre uma área entre 6000 km2 e 15000 km2 do Deserto do Kalahari. Estima-se que o Delta do Okavango acumule anualmente 11 quilómetros cúbicos de água, atingindo o ponto mais alto em Julho - o que coincide com a época seca no Botswana - e que resulta numa enorme migração da vida selvagem.

     

    O Delta do Okavango é o habitat natural de inúmeras espécies de animais, desde aves e animais de grande porte como elefantes, leões, chitas, búfalos, zebras, girafas, gnus, rinocerontes negros, hipópotamos, cães selvagens e crocodilos, entre outros. O Delta do Okavango tornou-se, em 2014, o milésimo local Inscrito na lista da UNESCO.

    Reserva de Moremi

    Elefante Botswana

    A Reserva de Moremi cobre uma área de cerca 4871 km², 70% por cento da qual é parte do Delta do Okavango. Esta zona é considerada uma das mais belas reservas de vida selvagem em África. Formada por bosque e floresta de acácias, pântanos, zonas húmidas e lagoas cobertas de lírios, Moremi consiste numa zona rede de canais que cercam duas ilhas: Chiefs Island, a Oeste, e Mopane Tongue, a Este.

     

    Nesta reserva de selva virgem, a avifauna é impressionante, assim como o elevado número de mamíferos, em particular centenas ou milhares de elefantes e búfalos, e predadores como leões, leopardos, chitas, cães selvagens, hienas, chacais e variados antílopes. A zona do Delta do Okavango foi dividida em reservas privadas, onde a observação de animais está restrita aos visitantes que tenham pago entrada. Daí que esta zona - sobretudo a Reserva de Moremi, no coração do Delta - seja uma das melhores em África para avistar as principais espécies.

    Parque Nacional Chobe

    Elefante banha-se com lama, no Parque Nacional do Chobe, Botswana

    O Parque Nacional Chobe é o segundo maior parque do Botswana, cobrindo uma área de cerca de 10000 km² entre terreno pantanoso, savana, pradaria e bosque com dois rios: Chobe e Savuti.

     

    O Chobe é um parque incrivelmente diverso, com uma das mais elevadas concentrações de animais no continente africano, em que se destaca a população de elefantes, com cerca de 100 mil indivíduos. Os elefantes são dos maiores que se encontram em África, embora tenham presas relativamente pequenas dada a fragilidade do seu marfim. Além de elefantes, no Chobe pode encontrar espécies como girafas, zebras, impalas, gnus, kudus, javalis, elandes, leões, hienas e, com uma grande dose de sorte, chitas e leopardos.

     

    Além da abundante vida selvagem, uma visita ao Parque Nacional Chobe é também a possibilidade única de assistir a um pôr-do-sol majestoso, sobretudo durante um cruzeiro pelo rio Chobe ao final do dia. O Savuti, uma área no Sudoeste do parque, acima do Okavango Delta, é muitas vezes apelidada de "O Reino do Leão" devido à alta densidade de leões que aí habitam, além de outros predadores e presas.

    Reserva Central do Kalahari

    Nascer do sol no deserto do Kalahari, Botswana.

    A Reserva Central do Kalahari ocupa uma área de cerca de 52800 km², ou seja, é maior que países como a Bósnia, Costa Rica ou Eslováquia, tornando-a na segunda maior reserva do mundo. A deslumbrante paisagem é caracterizada por salinas cintilantes, pradaria semi-árida e vales de rios fossilizados. A reserva tem uma diversificada vida selvagem, incluindo vastas manadas de antílopes e os lendários leões de juba negra.

     

    No Verão, milhares de animais pastam nas planícies verdejantes enquanto as chuvadas originam nuvens de poeira. Quatro rios fossilizados correm ao longo da Reserva Central do Kalahari, incluindo o Deception Valley, que é uma das melhores áreas para avistamento de vida animal.

     

    O Kalahari é uma das regiões mais inóspitas do mundo, com menos de 1000 habitantes, (a maioria bosquímanos caçadores-coletores que desde há 30 mil anos habitam o Kalahari). Arrisca-se a estar vários dias sem contactar com qualquer outro ser humano. Tentador?

    Parque Nacional Pan Makgadikgadi e Nxai

    Acampar sob estrelas no deserto do Kalahari, Botswana

    Imagine uma área de 3900 km² praticamente inabitada pelo ser humano. Um terreno árido, cuja extensão se perde no olhar e se mistura com o infinito azul do céu. Este é o Makgadikgadi, parte da Bacia do Kalahari, e uma das maiores salinas do mundo. Uma vasta área, que inclui as salinas de Ntwetwe, Kudiakam, Nxai e Makgadikgadi. A salina do Kalahari é tudo o que resta do antigo grande lago do Botswana que cobriu o Kalahari há milhões de anos.

     

    Na estação seca, as planícies do parque nacional são estéreis e todos os animais se concentram em volta de pequenas poças de água, após a evaporação do Rio Boteti. A época das chuva é igualmente dramática, ao assistir-se ao florir das pastagens e ao nascimento de novas crias. Ao mesmo tempo, os lençóis de água que se formam suscitam a migração para o Makgadikgadi de milhares de zebras e gnus.

    Reserva Linyanti

    Alcateia de leões, no Parque Nacional do Chobe, Bostwana

    Umas das áreas de safari mais exclusivas de África, totalmente focada no viajante aventureiro. A zona de Linyanti é famosa pela alcateia de leões e também por ser o habitat permanente de uma das maiores populações de elefantes do Botswana. Durante a estação seca as águas dos rios Kwando e Linyanti servem como ponto de atracção para a migração de animais de grande porte, incluindo búfalos, elefantes, gnus e zebras.

     

    Localizadas no extremo norte do Botswana, ensanduichadas entre o Parque Nacional Chobe, a Este e o Delta do Okavango, a Sul, as extensas concessões Kwando, Selinda e Linyanti permitem avistamentos magníficos de vida selvagem. A zona de Linyanti rivaliza com o Delta do Okavango com o qual até partilha semelhanças geográficas. Tal como no Delta, onde o Rio Okavango nasce em Angola, também na Reserva Linyanti, o rio Kwando viaja de Angola, através da Faixa de Caprivi, na Namíbia, até chegar ao Botswana. A exemplo do Delta, também aqui as terras se enchem lentamente com as águas chegadas de Angola e da Namíbia.

     

    No entanto, o que distingue a Reserva Linyanti do Chobe é o facto da reserva ser privada e aberta apenas aos clientes dos três alojamentos disponíveis. O habitat é virtualmente semelhante ao Parque Nacional Chobe, mas a exclusividade é garantida na Reserva Linyanti. Esta privacidade permite que não existam limitações no tipo de actividades, pelo que é possível fazer caminhadas, safaris nocturnos, pescar, etc.

     

    Se procura uma experiência semelhante ao Delta do Okavango, em regime de exclusividade, então a Reserva Linyanti é o local perfeito. Esta área foi aberta apenas recentemente aos visitantes e o avistamento de animais é fantástico, em particular de predadores, sobretudo na época seca, entre Junho e Outubro. Mas exclusividade vem com um preço: uma noite na Reserva Linyanti, no campo Kings Pool, pode custar mais de dois mil euros...por pessoa.

    Quando visitar o Botswana

    Situado no Trópico de Capricórnio, o Botswana tem um clima relativamente temperado. O Verão, de Novembro a Março, é a época das chuvas, com temperaturas altas e elevados níveis de humidade, e torna, por vezes, as estradas do país intransitáveis.

     

    A época seca, o Inverno, inicia-se em Abril e termina em Outubro, e caracteriza-se por temperaturas a rondar os 25°C de dia, caindo até aos 0°C à noite, sobretudo em Julho. Em Agosto é normal soprarem ventos fortes de Oeste, originando tempestades de areia. Durante o período invernal, os dias são solarengos e quentes, sendo esta a melhor altura para visitar o Botswana.

     

    No Delta do Okavango, os meses de Junho a Agosto apresentam volumes elevados de água nos canais, o que permite viagens de canoa e barco um pouco por todo o Delta. Muitos animais aproveitam a chegada das águas para migrar para o Delta, sendo esta uma excelente altura para o avistamento de animais selvagens, além de que o tempo ameno e seco afasta os mosquitos e não tem de se preocupar com a malária.

     

    Os meses quentes de Setembro e Outubro são também meses óptimos para visitar o Delta do Okavango, já que os animais - sedentos de água - se concentram em grande número em redor das poucas poças de água, em particular na Reserva de Moremi. Se o seu interesse for a observação de aves, deverá considerar uma visita entre Novembro e Abril, altura em que o Delta passa de boa localização para localização perfeita.

    Botswana - Estado do tempo



    Segurança no Botswana

    Antes de partir de viagem é extremamente importante verificar quais as condições de segurança no país e região que vai visitar. Há vários motivos para dar uma vista de olhos nas informações detalhadas sobre segurança. Primeiro, pela sua própria salvaguarda e, também, para planear melhor a sua viagem. Depois, para se manter actualizado caso ocorra alguma situação menor ou grave durante a sua estadia no Botswana.


    O site do Governo inglês é actualizado com muita regularidade para todos os países e o meu conselho é que, mesmo antes de reservar o voo para o seu destino de eleição, espreite o site e verifique se existe alguma indicação de problemas. A informação está, obviamente, escrita em inglês, mas caso tenha dificuldade em perceber a língua inglesa pode optar por um tradutor online como o Google.


    Alguns exemplos que podem surgir antes ou durante a sua estadia e que merecem monitorização permanente são: atentados em Londres, manifestações na Venezuela, greves e cortes de estrada na Bolívia, furações nas Caraíbas, inundações na Ásia, ou fogos florestais em Portugal. Além disso, o site dispõe - para alguns países - de mapas regionais detalhados indicando os locais em que é desaconselhada a visita para turistas.

    Artigos sobre o Botswana


    Ainda não existem artigos. Explore outros destinos nos Lugares Incertos